12/03/2012

OS BENEFÍCIOS DO PRAZER ERÓTICO


No ápice da excitação, entra em ação a endorfina, substância responsável pelas sensações de prazer. É o momento em que as células nervosas do cérebro "descarregam" a energia acumulada, promovendo no organismo a experiência do orgasmo. Na mulher, ele provoca a miotonia, como se chama a contração de tecidos musculares, especialmente na região pélvica, em espasmos involuntários. Algumas mulheres liberam grande quantidade de líquido no momento do orgasmo, semelhante a uma ejaculação seminal masculina. O organismo feminino produz ainda um outro hormônio nesse momento, a ocitocina, que produz contrações do útero, favorecendo a entrada dos espermatozóides.

As mudanças químicas e físicas descritas tormam o sexo uma atividade física que faz muito bem ao corpo. Ele ativa a circulação sangüínea, fortalece a musculatura pélvica --os músculos da bexiga, ânus, pênis e vagina --, deixa a pele com mais viço, melhora o sono e alivia dores de cabeça, de cólicas menstruais ou de origem reumática. O prazer sexual é fundamental ainda para o bem estar psíquico. Na medida em que contribui para descarregar tensões, ele pode aliviar o estresse, melhorar o ânimo e o humor e aumentar a auto-estima.
Dra. Carmita Abdo é médica, professora de psiquiatria e coordenadora geral do ProSex, Projeto de Sexualidade do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo.