30/11/2010

INTELIGÊNCIA EMOCIONAL NO ESPORTE

*Para o psicólogo Daniel Goleman, a inteligência está relacionada às emoções. Ele redefine a inteligência e diz:”Uma visão da natureza humana que ignore o poder das emoções é míope.”
*Pensando no esporte:
-Como o atleta pode desenvolver esta habilidade?
-O que ele vai ganhar com esse novo método?
*Precisamos compreender um pouco sobre as emoções:
1- Nascemos com algumas matrizes emocionais que são circuitos impressos no cérebro, como: alegria, raiva, medo, desprazer, tristeza. De acordo com nossas experiências de vida, elas passam a ter um conteúdo e a serem chamadas de EMOÇÃO.
2- Todas as pessoas têm emoções, mas cada um tem a sua, diferente dos demais. Por isso, elas não podem ser comparadas.P.ex.: Quando um atleta se entristece porque perdeu um campeonato, nem seu próprio técnico é capaz de avaliar o que ele está sentindo exatamente.
3- Nós temos 2 maneiras de lidar com o mundo: quando pensamos e quando sentimos. A parte emocional é mais rápida que a racional. Somos capazes de agir sem pensar bem no que estamos fazendo. Razão e emoção deveriam andar unidas, mas quando surge uma emoção forte, o equilíbrio se abala e a emoção toma conta, desestabilizando a mente racional.
*Para que servem então, as emoções do atleta?
-Muitos indícios atestam que atletas emocionalmente equilibrados podem levar vantagem em qualquer campo e no esporte.
-As emoções são importantes para a racionalidade porque uma perturbação emocional interfere na vida mental, motora, enfim, na vida atlética do esportista. As emoções descontroladas travam a parte motora.
-O renomado técnico de futebol Wanderley Luxemburgo concorda que não basta treinar só a parte técnica ou tática, é necessário um trabalho que englobe o atleta como um todo, inclusive o seu lado sentimental e emocional.
*Mas então, como tornar-se um atleta emocionalmente inteligente?
1- CONHECER AS PRÓPRIAS EMOÇÕES. É saber reconhecer um sentimento, quando e porque ele ocorre. As pessoas que se conhecem são melhores pilotos de suas vidas e se sentem mais à vontade para tomar decisões. Essa busca se torna um processo contínuo e exige permanente atenção, paciência e dedicação.
2- SABER LIDAR COM AS EMOÇÕES. No esporte, é preciso ter a capacidade do autoconforto, de contornar uma irritabilidade (irritabilidade= faltas), de livrar-se de uma ansiedade excessiva e até de não se achar a última das criaturas por se entristecer de vez em quando.
3- SABER SE AUTOMOTIVAR. É essencial para a carreira de qualquer atleta, colocar as emoções a serviço de uma meta mais distante. (Que bom que o torneio está chegando! Tomara que a cada ano seja melhor.)
4- RECONHECER AS EMOÇÕES NO OUTRO. É perceber o que o outro pode estar sentindo. É a empatia, aptidão pessoal que gera um relacionamento positivo e saudável com o outro.
5- SABER LIDAR COM OS RELACIONAMENTOS. É interagir com o outro sabendo que ele é diferente de você. Saber viver em grupo, em equipe é importante. O isolamento é tão fatal quanto o fumo, a pressão alta. Saber desabafar e estar pronto a ouvir o desabafo dos amigos são aptidões que precisam ser desenvolvidos pelos atletas.
*O objetivo do atleta, o objetivo da equipe, deve ser o equilíbrio das emoções.
*Se você tentar introduzir esses conceitos na sua vida e na equipe, você poderá se considerar um atleta inteligente.

                                          Carolina Mendonça (Psicóloga)