28/03/2011

O DESAFIO DA DISLEXIA

   O termo dislexia aplica-se, em geral às dificuldades de aprendizagem da leitura relacionadas à identificação, compreensão e interpretação dos símbolos gráficos da leitura.
   A noção de dislexia específica é restrita às dificuldades da leitura em crianças normalmente desenvolvida nos demais setores, onde não intervém a linguagem, e cujos distúrbios não possam ser explicados por condições físicas ou ambientais negativas, déficits sensoriais ou intelectuais e comportamentos afetivo emocionais.

 CARACTERÍSTICAS DO DISLÉXICO

De modo geral, os disléxicos apresentam déficit no domínio da percepção, da motricidade, da organização tempo-espacial, da capacidade de globalização, no domínio do esquema corporal, na dominância lateral, podendo ser acrescentados distúrbios da atenção, da memória, alterações da relação figura - fundo.
   O que se disseca é que o disléxico embora tenham uma acuidade auditiva normal tem dificuldades em distinguir sons parecidos como p, b, d, t, f, v, m, n, .
   Essa dificuldade específica de perceber os excitantes auditivos mais complexos torna-se patente quando se pede ao disléxico para reproduzir exatamente uma determinada seqüência rítmica. Os distúrbios da percepção auditiva podem levar a criança a um atraso no desenvolvimento da linguagem e como, em geral, apresentam também dificuldades de análise dos elementos, a percepção de palavras e frase fica prejudicada.    Como a linguagem falada e escrita tem muita relação entre si, a criança disléxica começa a apresentar dificuldades de ortografia.

 EXAME PSICOLÓGICO

OBJETIVOS: diagnóstico diferencial, pois cada disléxico pode apresentar quadro diferente de distúrbios e dificuldades.

 PLANO DE REEDUCAÇÃO

   Quanto ao plano da reeducação e do tratamento das crianças disléxicas, considerando o tríplice enfoque: neurológico, psicológico e pedagógico deve ser ativo, individualizado e específico, levando sempre em conta os padrões de maturidade de cada criança, suas experiências de linguagem oral e escrita a fim de promover experiências multisesoriais, além de mobilizar recursos que dinamizem na criança a descoberta da aprendizagem, através do ouvir, falar, dramatizar, ampliando assim seu vocabulário e conhecimentos de síntese. Qualquer método de tratamento deverá também estar adequado ao meio sócio - cultural , ao nível intelectual das crianças e às condições ambientais.
   Como princípios gerais de reeducação do ensino das crianças disléxicas podemos destacar diminuição dos estímulos, redução dos espaços, uma vez que a insegurança da criança aumenta com o crescimento do espaço; reorganização das experiências educacionais, porquanto as crianças disléxicas estão acostumadas ao fracasso e necessitam de experiências positivas; preparação de material didático novo e diferente e treinamento irisomotor e motor para desenvolver o rendimento das habilidades motoras e do esquema corporal. A revisão das condições emocionais e da motivação para a reeducação, assim como das oportunidades educacionais deverá ser constante durante o tratamento da dislexia.


                                                     Carolina Mendonça (Psicóloga e Sexóloga)